Pesquisar neste blog

Carregando...

sábado, 27 de outubro de 2007

Reflexão: Evangelho do dia 27 de outubro (Lucas 13,1-9)

Por que as pessoas morrem precocemente?

        Algumas pessoas gostam de dizer que a Bíblia fala sobre todos os assuntos, basta que saibamos interpretá-la... O Evangelho de hoje fala sobre um tema bastante atual: as catástrofes, as chacinas e os acidentes.

        Podemos dividir o Evangelho, didaticamente, em duas partes. Na primeira, Jesus comenta sobre o merecimento (ou não-merecimento) daqueles que morrem nestes eventos, e na segunda parte Ele conta uma parábola aparentemente fora de contexto.

        Quando acontece uma catástrofe, chacina ou acidente, sempre nos vêm uma pergunta: "Por que isso foi acontecer logo com eles?... Será que mereciam morrer? Morreram porque eram muito pecadores?" E para as pessoas boas que morrem precocemente nós também ficamos intrigados: "Mas ele era tão bom... não merecia ter morrido assim..."

        Hoje Jesus vem nos trazer uma resposta a essas perguntas. Estas pessoas não morrem assim porque são mais culpadas/pecadoras ou menos culpadas/pecadoras do que você ou eu... Lição que tiramos disso: Você ser uma boa pessoa não lhe dá garantia de que você viverá por mais tempo! E nem o contrário. Não existe regra para predizer quem morre antes e quem vive mais. Isso não cabe a nós, só a Deus.

        Se fosse hoje, ao invés de falar da Torre de Siloé, que caiu em cima de 18 pessoas e matou todas, Jesus teria falado das torres gêmeas, ou do tsunami, ou do avião da TAM, ou do holocausto dos judeus na Segunda Guerra, ou do seu parente, ou do seu amigo, que morreu e você ainda não entende por que Deus levou aquela pessoa, ao invés de levar outra... Ele não morreu porque era mais pecador ou menos pecador que você ou eu. Quer saber por que ele morreu? Por 2 motivos: Primeiramente, porque se ninguém morresse, o mundo não caberia mais tanta gente; e segundo, para lembrar aos que ficaram vivos que busquem aproveitar melhor a vida e serem felizes, para quando chegar a nossa vez de morrer, termos a tranqüilidade de saber que iremos para um lugar ainda melhor...

        A segunda parte do Evangelho é a Parábola da Figueira. O dono da vinha tinha mandado cortar a figueira estéril, mas o empregado pediu que desse mais um ano, que ele tentaria adubar a figueira, para ver se ela daria algum fruto. Sabe onde está a conexão entre esta parábola e a primeira parte do Evangelho? Quase sempre que acontece uma catástrofe, uma chacina ou um acidente, ficam os sobreviventes. Estes sobreviventes são como a figueira estéril, que Deus iria "cortar", mas o vinhateiro pediu uma chance de restaurá-la, e Deus concedeu. Observe que não existe uma causa para os que vão, mas existe uma causa para os que ficam: DAR FRUTOS.

        Você já sobreviveu a algum acidente, doença, assalto, tiroteio, etc? Pois é... Deus ia lhe cortar, mas Jesus pediu uma chance para tentar fazer você FRUTIFICAR... Mas Ele tem um prazo para trabalhar você... Dê frutos!

 

Jailson Ferreira

jailsonfisio@hotmail.com

 

P.S.: Obrigado, Manu! É muito bom poder contar com a sua Sabedoria! Sua reflexão foi profunda, me ajudou, e certamente ajudou muitas pessoas a pensar duas vezes antes de julgar, passar por cima dos outros em benefício próprio. Que o Espírito Santo continue iluminando sua mente, para que você ilumine tantas outras, e também se permita ser iluminada.



Encontre o que você procura com mais eficiência! Instale já a Barra de Ferramentas com Windows Desktop Search! É GRÁTIS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário